Vistas da exposição
1 de 26
Obras
Slideshow
1 de 29
Thumbnails
Texto

24/07 - 12/08 2021

d'Ouwe Kerke
Dorpsstraat 16
4525 AH Retranchement
Holanda

Quarta a domingo, 12 pm - 6 pm
ou com marcação prévia: +32 (0) 2 502 09 64

Alma Allen, Nina Canell, Michael Dean, Patricia Leite, Marina Perez Simão, Kishio Suga

A Mendes Wood DM retorna ao litoral holandês para a sua segunda exposição de verão em uma igreja do século XVII, no idílico vilarejo de Retranchement, que faz fronteira com a Bélgica. O espaço fica a poucos minutos de bicicleta de Knokke, o famoso balneário belga onde galerias e instituições organizam eventos culturais ao longo dos meses de verão na Europa.

Dias de inércia apresenta um conjunto de trabalhos de artistas representados pela galeria. A exposição coletiva usa o nome de uma escultura da artista sueca Nina Canell, que foi concebida especialmente para este projeto. Outras obras de Dias de inércia já foram apresentadas antes em Punta Della Dogana, SMAK, em Ghent, e no Centre d'art contemporain d’Ivry, Le Crédac. De forma simultânea à exposição em Retranchement, Canell também criou um trabalho inédito para Into Nature, uma bienal de artes visuais que acontece em uma reserva natural na região de Drenthe, na Holanda.

Esculturas e instalações são um tema proeminente na mostra, que também se expande para fora da igreja, onde outro trabalho de Canell, Otic Pit, será apresentado em diálogo com Mortal, uma escultura em larga escala, feita de cimento e pigmento, do artista britânico Michael Dean. Uma mostra individual do trabalho de Dean acontece, atualmente, no espaço expositivo da galeria Mendes Wood DM Bruxelas. Dean também faz parte do Festival de Artes de Watou, na Bélgica. Por sua vez, o artista estadunidense Alma Allen, que irá fazer sua primeira exposição individual europeia em setembro na Mendes Wood DM Bruxelas e no Museum Van Buuren, apresenta uma série de pequenas esculturas instaladas no lado de dentro da igreja. Suas formas orgânicas, feitas de bronze, mármore e obsidiana, estão em diálogo com as geometrias e dicotomias materiais das esculturas de madeira do artista japonês Kishio Suga.

A exposição Dias de inércia também inclui o trabalho de duas importantes artistas brasileiras da galeria: Marina Perez Simão e Patricia Leite. Além de pinturas a óleo em grande escala, Simão apresenta uma série recente de delicadas aquarelas que oferecem aos visitantes um novo ponto de entrada para as suas paisagens tecnocoloridas. Nas novas composições de Leite – pinturas a óleo espessas, imersivas e em grande escala, inspiradas pela natureza de seu país natal –, o tema da paisagem permanece, mas em uma chave completamente diferente. 

Menu
Utilizamos a tecnologia de cookies com o objetivo de melhorar cada vez mais a sua experiência de navegação no nosso site. Continue ou feche essa mensagem para permitir a utilização de cookies. Para mais informações sobre a nossa Política de Cookies e sobre como gerenciar seus cookies, clique aqui.