Vistas da exposição
1 de 20
Obras
Slideshow
1 de 10
Thumbnails
Texto

09/09 2021 - 31/01 2022

A Mendes Wood DM tem o prazer de apresentar a primeira mostra individual do artista estadunidense Alma Allen na Europa. A exposição, com trabalhos inéditos, irá ocupar todo o espaço da galeria em Bruxelas e o jardim do Van Buuren Museum, com uma apresentação ao ar livre de dez esculturas (em exibição até 31 de janeiro de 2022).

A trajetória artística de Allen abarca desde a sua origem humilde, vendendo miniaturas esculpidas à mão no Soho, em Nova York, até o seu decisivo momento de reconhecimento após a sua elogiadíssima apresentação na Whitney Biennial de 2014. A exposição na Bélgica, que se divide entre o espaço expositivo da Mendes Wood DM e o Van Buuren Museum & Gardens, será a primeira oportunidade para colecionadores, curadores, jornalistas e amantes da arte europeus de acessar pessoalmente a obra do artista, com trabalhos instalados dentro e fora dos dois espaços.

Cobrindo uma vasta gama de materiais, tais como bronze, madeira parota, vários tipos de mármore (por exemplo, orizaba mexicano e rosa), obsidiana e estalagmite, críticos da arte têm relacionado a obra de Allen com o trabalho dos titãs da escultura do século XX, tais como Constantin Brancusi, Jean Arp, Louise Bourgeois, Isamu Noguchi, Barbara Hepworth e Henry Moore. Entretanto, o trabalho de Allen retém uma energia singular e uma estética original que fazem com que seja instantemente reconhecível. Formas biomórficas parecem emergir sem esforço do material escolhido pelo artista como, por exemplo, figuras de bronze finas e sinuosas ou ondas de mármore lisas e magmáticas. O processo de Allen é orgânico, assim como os seus resultados, e parece que, seja qual for o formato da escultura, sua forma expressa perfeitamente o material bruto do qual é feita.

Em grande medida um autodidata, vemos uma espontaneidade e uma energia no trabalho do artista que parecem ter poucos vínculos com os movimentos artísticos do nosso tempo. Em verdade, do ponto de vista formal e talvez até espiritual, seus trabalhos têm mais em comum com as vastas expansões territoriais e formações naturais monolíticas que habitaram sua vida até aqui: Utah, onde cresceu; Joshua Tree, na Califórnia, onde viveu por muitos anos; e Tepoztlán, no México, onde atualmente tem seu ateliê, a apenas 80 quilômetros da Cidade do México. Rochas, galhos e entidades biomórficas indeterminadas, mas que exalam uma espécie de energia pré-histórica, dominam suas exposições. Seus tamanhos e suas massas solapados pela leveza aparente e presença simples.

Alma Allen (Heber City, Utah, EUA, 1970) vive e trabalha em Tepoztlán, México.

Alma Allen participou da Whitney Biennial de 2014, na qual seu trabalho ganhou visibilidade e reconhecimento. Recentemente, teve exposições individuais na Kasmin Gallery, Nova York (2021 e 2020); Blum & Poe, Los Angeles (2019); Blum & Poe, Nova York (2016) e Shane Campbell Gallery, Chicago (2016).

Exposições coletivas recentes incluem Days of Inertia, Mendes Wood DM, Retranchement (2021); Between the Earth and Sky, Kasmin Gallery, Nova York (2021); At The Luss House: Blum & Poe, Mendes Wood DM and Object & Thing, The Gerald Luss House, Ossining (2021); At The Noyes House: Blum & Poe, Mendes Wood DM and Object & Thing, Noyes House, New Canaan (2020); 5,471 miles, Blum & Poe, Los Angeles (2020); Collective /Collectible, MASA, Cidade do México (2019); Galería OMR, Cidade do México (2019); In Conversation: Alma Allen & J.B. Blunk, Palm Springs Art Museum, Palm Springs, que, posteriormente, viajou para o Nevada Museum of Art, Reno (2018); e Handheld, Aldrich Contemporary Art Museum, Ridgefield (2018).  

Em 2020, a editora Rizzoli Electa publicou uma monografia da obra de Alma Allen.

A Van Buuren Museum & Gardens Foundation foi criada por Alice Van Buuren em 1970. Sua missão é produzir um trabalho artístico e cultural. Suas atividades consistem em garantir, seguindo o espírito de sua fundadora, a conservação das pinturas, do mobiliário e dos objetos localizados em sua mansão convertida em museu com jardins circundantes. Desde a sua criação, a fundação tem convidado diversos artistas para exibirem seus trabalhos dentro e fora da casa, nos jardins. A fundação oferece um extenso programa artístico com atividades originais realizadas ao longo do ano, incluindo exposições, concertos, conferências, caças ao tesouro para crianças, oportunidades para conhecer artistas e visitas guiadas.

O holandês David Van Buuren (1886-1955) mudou-se para Bruxelas em 1909. Sua carreira financeira coincidiu com os principais eventos sociais, políticos e econômicos do século XX. Casou-se com a belga Alice Piette (1890-1973), o que desencadeou trinta anos de felicidade e devoção à cultura a partir de sua mansão no estilo Art Déco. Como patrono das artes, David apoiou diversas causas artísticas, uma missão que foi conservada por Alice até a criação de sua fundação privada em 1970 para a qual ela deixou em testamento sua casa, obras de arte e jardins.

Menu
Utilizamos a tecnologia de cookies com o objetivo de melhorar cada vez mais a sua experiência de navegação no nosso site. Continue ou feche essa mensagem para permitir a utilização de cookies. Para mais informações sobre a nossa Política de Cookies e sobre como gerenciar seus cookies, clique aqui.