Vistas da exposição
1 de 6
Texto

Secundino Hernández

11/08 2012 – 25/08 2012


A Mendes Wood DM tem o prazer de anunciar a primeira mostra individual do artista espanhol Secundino Hernández no Brasil. Hernández trabalha num mar de citações e referências à história da pintura, criando composições que se assemelham ao gênero do romance. De uma certa forma, em sua poética o artista retoma algumas noções das vanguardas modernistas. Há uma tensão entre forma e conteúdo, e essa hierarquia está sempre à beira de um colapso. Nos perguntamos se essas pinturas são mesmo pinturas ou abreviações, se são hieróglifos formalistas ou simplesmente caricaturas dos ismos da primeira metade do século XX.

Enquanto essas perguntas são deixadas sem resposta, a pincelada de Hernández reside em um espaço de discurso, e no entanto o triunfa pelo seu virtuosismo no manuseio da tinta na tela. As pinturas são tecidas ou escritas, reconhecendo abertamente seus ídolos: vemos em Hernández as constelações planetárias de Miró, as figuras desconstruídas do cubismo, as miragens vaporosas de Dalí, do último Magritte (La période vache, in 1948). Para Secundino a pintura é um gesto do pensamento, e uma forma de reescrever um mundo exaurido.

Nascido em Madri em 1975, vive e trabalha em Berlin. Suas mostras mais recentes incluem a Galeria Nuno Centeno, Porto; Galería Heinrich Ehrhardt, Madri; Galerie Forsblom, Helsinque; Galerie Krinzinger, Viena; Assim como na Frith Street Gallery, Londres; Biksady Gallery, Budapeste; Château de Servières, Marseilha; Künstlerhaus Bethanien, Berlin; Kunstverein Pfaffenhofen.

Seu trabalho está presente em coleções como AGO – Art Gallery of Ontario, Canadá. Patio Herreriano Museum, Valladolid, Espanha. Coca Cola Fundation, Espanha. Banco Santander Fundation, Espanha. MOCA, Miami. Rubell Family Collection, Miami.

Menu