Obras
Slideshow
Rubem Valentim, MASP, São Paulo, 2018
1 de 27
Thumbnails
Sobre

Rubem Valentim iniciou sua produção artística como pintor autodidata no final dos anos 1940. Seus trabalhos unem diversas fontes da herança cultural brasileira, tais como as tradições populares presentes na cerâmica nordestina, as propostas modernistas do Sudeste e a ideia de antropofagia cultural. Em sua obra, o desenvolvimento formal de ideias construtivistas é recriado segundo padrões brasileiros, tanto em termos formais quanto em termos históricos e políticos.

Valentim explora o universo religioso afro-brasileiro, com seus signos e emblemas originalmente geométricos. Esse universo é reorganizado por uma geometria ainda mais rigorosa, composta por linhas horizontais e verticais, triângulos, círculos e cubos. Nesse sentido, o artista desenvolve um repertório pessoal que, com sua noção de espaço pictórico e estudo cromático, abre várias possibilidades. Seu estudo cromático gera uma nova linguagem para os elementos apresentados – uma nova signografia – permitindo a revelação iconográfica de sua obra para aqueles que conhecem ou não as referências das religiões afro-brasileiras. A semiologia presente em sua obra propõe a união do sagrado e do cartesiano, invocando questões espirituais quase que matematicamente.

A fim de retratar de maneira pictórica suas conexões culturais como descendente de afro-brasileiros, Valentim buscou uma linguagem artística capaz de ilustrar a miscigenação cultural brasileira. Elementos aparecem repetidas vezes em seus conjuntos de cores puras e vivas. Para destacar a intensidade cromática, o branco aparece, frequentemente, como plano de fundo. Seu trabalho possui um significado intrínseco de rito e cerimônia, fundindo formas abstratas e geométricas apropriadas do construtivismo.

O trabalho de Valentim torna tangíveis os fatores sócio-políticos e históricos que formam a atual compreensão popular do Brasil. Fatores que ainda ressoam nos dias atuais, como repercussões do processo colonial do século XVI, na América Latina, e do século XIX, na África. Além disso, os trabalhos fazem referência, de forma pungente, à ameaça sempre presente contra uma consciência progressista e humanista durante a ditadura no Brasil, que se reflete também no país em seus dias atuais. Consonante ao movimento modernista na arquitetura brasileira, Valentim morou por muitos anos na até então recente capital, Brasília, tempo em que os valores e idealizações do movimento inspiraram os estudos do artista no que tange principalmente o campo da escultura e seus desdobramentos para uma contra-mão brancusiana, avesso à ideia de escultura como monumento mas como possibilidade móvel.

Valentim viveu no Rio de Janeiro entre 1957 e 1963, onde se tornou professor assistente de Carlos Cavalcanti, lecionando História da Arte no Instituto de Belas Artes. Ele se mudou para Roma em 1963, quando ganhou um prêmio de viagem, obtido no Salão Nacional de Arte Moderna (SNAM). Em 1966, Valentim participou do Festival Global de Artes Negras, em Dakar. De volta ao Brasil, mudou-se para Brasília e deu aulas de pintura no Instituto de Artes da Universidade de Brasília (UnB). Em 1972, o artista criou um mural de mármore para a sede do governo em Brasília. Em 1979, Valentim esculpiu uma escultura maciça de concreto, instalada na Praça da Sé, em São Paulo, definindo-a como a “Estrutura Sincrética da Cultura Afro-Brasileira”. No mesmo ano, foi escolhido por uma comissão de críticos para produzir cinco medalhões de ouro, prata e bronze como símbolos afro-brasileiros para um importante edifício público. Em 1998, o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA) inaugurou a Sala Especial Rubem Valentim, no Parque das Esculturas. Em 2018, o MASP apresentou uma importante retrospectiva da obra do artista.

Suas obras estão em inúmeras coleções permanentes, tais como: MoMA – NY, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu de Arte Moderna da Bahia, Museu de Arte de Brasília, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, Museu Afro Brasil, Colección Patrícia Phelps de Cisneros, Coleção Adolpho Leirner, Gem Houston, entre outros.

Rubem Valentim (Salvador, 1922 - São Paulo, 1991)



CV

Exposições Individuais
2019

Rubem Valentim, Mendes Wood DM, Bruxelas, Bélgica 
Rubem Valentim, Mendes Wood DM, Nova York, EUA
2018 
Rubem Valentim, MASP, São Paulo, Brasil
Rubem Valentim - Construção e Fé, Caixa Cultural, São Paulo, Brasil
Rubem Valentim, Mendes Wood DM, São Paulo, Brasil
2017
Rubem Valentim - Construção e Fé, Caixa Cultural, Brasília, Brasil
2010
Emblemas Afro Baianos de Rubem Valentim, Espaço Cândido Portinari, São Paulo, Brasil
Museu de Arte de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, Brasil
2007
Projeto Concreto Rubem Valentim, Centro Cultural dos Correios, Rio de Janeiro, Brasil 
Rubem Valentim - Pinturas, Esculturas e Relevos, Galeria Berenice Arvani, São Paulo, Brasil
2003
Sagrada Geometria, Museu da Câmara dos Deputados, Brasília, Brasil
2002
Rubem Valentim - Pinturas Esculturas Relevos, Paulo Darzé Galeria de Arte, Salvador, Brasil
2001
Rubem Valentim - Artista da Luz, Museu AfroBrasil, São Paulo, Brasil 
Rubem Valentim – Retrospectiva, ECCO, Brasília, Brasil
1997
Sala Rubem Valentim, MAM, Salvador, Brasil
1995
Rubem Valentim – Serigrafias, Palácio das Artes, Belo Horizonte, Brasil
1994
Construção e Símbolo, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil
1993
Rubem Valentim: Serigrafias, Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil
Objetos e Relevos Emblemáticos, MAM, Salvador, Brasil
Altares Emblemáticos, Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brasil
1992
Em Memória, Espaço Cultural Rubem Valentim, Universidade Holística Internacional de Brasília, Brasília, Brasil
Os Guardadores de Símbolos; Axé na Praça da Sé, Museu de Arte de Brasília, Brasília, Brasil
O Templo de Oxalá, Palácio Itamaraty, Brasília, Brasil
O Sopro Inicial, Galeria de Arte da ECT, Brasília, Brasil
Forma e Cor Essencial, Casa de Cultura da América Latina, Brasília, Brasil
Eu Procuro a Claridade, Luz da Luz, Espaço Cultural Rubem Valentim, Brasília, Brasil 
Valentim 22/92, Museu Nacional de la Estampa, Cidade do México, México
Bahia Emblemas e Magia, Memorial da América Latina, São Paulo, Brasil
1991
Rubem Valentim, The Brasilian-American Cultural Institute, Washington D.C, EUA
1990
Circuito Paulista de Arte Contemporânea, São José do Rio Preto, Brasil
1989
Livraria Letraviva, sala Mira Schendel, São Paulo, Brasil
1986
Rubem Valentim, Galeria de Arte Performance, Brasília, Brasil
1978 
Mito e Magia na Arte de Rubem Valentim, Brasília, Brasil
1976
Serigrafias, Museu de Arte e Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, Brasil
1975
Rubem Valentim: Panorama de sua Obra Plástica, Fundação Cultural do Distrito Federal, Brasília, Brasil
1971
Galeria Documenta, São Paulo, Brasil
1970 
Emblemas de Rubem Valentim, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
1965
Rubem Valentim, Galeria de Arte da Casa do Brasil, Roma, Itália
1954
30 Pinturas, MAM, São Paulo, Brasil 

Exposições Coletivas
2018

Concrete Matters, Moderna Museet – Estocolmo, Suécia
As If Sand Were Stone: Contemporary Latin American Art From The Ago Collection, Art Gallery of Ontario, Ontario, Canadá
Rubem Valentim – Construção e Fé, Caixa Cultural, São Paulo, Brasil
Rubem Valentim, MASP, São Paulo, Brasil
2017
Rubem Valentim – Construção e Fé, Caixa Cultural, Brasília, Brasil
Axé Bahia: The Power of Art in an Afro-Brasilian Metropolis, Fowler Museum, Los Angeles, EUA
2015
Territórios: Artistas Afrodescendentes no Acervo da Pinacoteca, Pinacoteca de São Paulo, Brasil
2013
Trajetórias, Fundação Edson Queiroz, Fortaleza, Brasil
2012
Africanas e Africanismos, Museu Afro Brasil, São Paulo, Brasil
2011
Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú, Palácio das Artes, Belo Horizonte, Brasil 
Rubem Valentim, MAM, Salvador, Brasil
América Fría: La Abstracción Geométrica en Latinoamérica, Fundacion Juan March, Madri, Espanha
Elos da Lusofonia, Museu Afro Brasil, Rio de Janeiro, Brasil
2010
Preto no Branco: do concreto ao contemporâneo, Galeria Arvani Arte, São Paulo, Brasil
Elos da Lusofonia, Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, Brasil
2009
De Valentim a Valentim, Museu Afro Brasil, São Paulo, Brasil
50 Anos de Arte Brasileira, MAM, Salvador, Brasil
2008
Panorama dos Panoramas, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Brasil
Ruptura, Frente e Ressonâncias, São Paulo, Brasil
MAM 60, Oca, São Paulo, Brasil
Brasil: terra de contrastes, Museu Afro Brasil, São Paulo, Brasil
2007
Projeto Concreto Rubem Valentim, Centro Cultural Correios, Rio de Janeiro, Brasil
2006
Pincelada - Pintura e Método: projeções da década de 50, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, Brasil
2005
Para Nunca Esquecer. Negras Memórias, Memórias de Negros, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
O Gabinete de Papel, Centro Cultural São Paulo, São Paulo, Brasil
2004
Palavras e Obras, Estação Pinacoteca, São Paulo, Brasil
2002
Fragmentos a seu Ímã, ECCO, Brasília, Brasil
JK - Uma Aventura Estética, Conjunto Cultural da Caixa, Brasília, Brasil
Arte Brasileira na Coleção Fadel, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil 
Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil
Paralelos: Arte Brasileira da Segunda Metade do Século XX em Contexto, Collección Cisneros, São Paulo, Brasil
2001
Brasil: Body and Soul, Solomon R. Guggenheim Museum, Nova York, EUA
Trajetória da Luz na Arte Brasileira, Itaú Cultural, São Paulo, Brasil
Rubem Valentim: exposição retrospectiva, Espaço Cultural Contemporâneo Venâncio, Brasília, Brasil
1999
100 Artistas Plásticos da Bahia, Museu de Arte Sacra, Salvador, Brasil
1998
Espelho da Bienal, MAC, Rio de Janeiro, Brasil
Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, São Paulo, Brasil
Fronteiras, Itaú Cultural, São Paulo, Brasil
Destaques do Museu de Arte Moderna da Bahia, MAM, São Paulo, Brasil
1997
Arte e Religiosidade no Brasil: Heranças Africanas, Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brasil
Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, Itaú Cultural, São Paulo, Brasil
1996
300 Anos de Zumbi, Palácio das Artes, Belo Horizonte, Brasil
Modernistas e Contemporâneos, Museu Brasileiro de Escultura, São Paulo, Brasil
XXIII Bienal Internacional de São Paulo, São Paulo, Brasil
Arte Contemporânea Brasileira na Coleção de João Sattamini, MAC, Rio de Janeiro, Brasil
Tendências Construtivas no Acervo do MAC-USP, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil
Arte Brasileira: 50 Anos de História no Acervo MAC-USP: 1920-1970, MAC-USP, São Paulo, Brasil
1995
Negro de Corpo e Alma, Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brasil
Os Herdeiros da Noite - Fragmentos do Imaginário Negro, São Paulo, Brasil
1994
Bienal Brasil Século XX, Pavilhão da Bienal, São Paulo, Brasil
1993
Brasil 100 Anos de Arte Moderna, Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, Brasil
1992
X Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, Museu da Gravura, Curitiba, Brasil
A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil
Eco Art, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
A Sedução do Volume: os Tridimensionais do MAC, MAC-USP, São Paulo, Brasil 
Brasilien: Entdeckung und Selbstent deckung, Kunsthaus, Zürich, Suiça
1990
A Estética do Candomblé, MAC-USP, São Paulo, Brasil
Expressões Singulares da Arte Brasileira, Chicago Cultural Center, Chicago, EUA
Brasil: Crossroads of Modern Art, Randolph Gallery, Chicago, EUA
1989
Introspectives: Contemporary Art by Americans and Brasilians of African Descent, Los Angeles, EUA
1988
A Mão Afro-Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
XIX Panorama de Arte Atual Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
Modernidade: Arte Brasileira do Século XX, MAM, São Paulo, Brasil
II Abstração Geométrica, Funarte, Rio de Janeiro, Brasil
1987
Modernidade: Arte Brasileira do Século XX, Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris, Paris, França
1986
II Bienal de Havana, Havana, Cuba
1985
Pintura Brasileira Atuante, Espaço Cultural Petrobrás, Rio de Janeiro, Brasil
XVI Panorama de Arte Atual Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
1984
Madeira, Matéria de Arte, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
Pintura Brasileira Atuante, Espaço Cultural Petrobrás, Rio de Janeiro, Brasil
Coleção Gilberto Chateaubriand: Retrato e Autorretrato da Arte Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
Tradição e Ruptura - Síntese da Arte e Cultura Brasileiras, Pavilhão da Bienal, São Paulo, Brasil
1978
III Arte Agora: América Latina, Geometria Sensível, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
1977
II Festival Mundial de Arte Negra, Lagos, Nigéria
XIV Quadrienal de Roma, Roma, Itália
II Arte Agora: Visão da Terra, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
XIV Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
Projetos Construtivos Brasileiros na Arte, MAM, Rio de Janeiro, Brasil Pinacoteca do Estado, São Paulo, Brasil
1976
Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
1975
VII Panorama de Arte Atual Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
1974
Acervo de Arte Brasileira do Museu de Ontário, Canadá; MAM, Rio de Janeiro, Brasil; MAM, São Paulo, Brasil
1973
XII Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
1972
I Exposição Internacional de Pintura Contemporânea, Museu Nacional de Belas Artes do Chile, Santiago, Chile 
1971
IX Resumo de Arte do Jornal do Brasil, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
1970
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
II Bienal de Arte de Medellín, Antioquia, Colômbia
1968
IV Salão de Arte Moderna do Distrito Federal, Brasília, Brasil
1969
I Bienal Internacional de Arte Construtiva de Nuremberg, Alemanha
I Panorama da Arte Atual Brasileira, MAM, São Paulo, Brasil
X Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
1967
IX Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
VI Resumo de Arte do Jornal do Brasil, MAM, Rio de Janeiro, Brasil
1965
Alternative Attuali 2, Aquila, Itália
1966
XXXIII Bienal de Veneza, Veneza, Itália
I Bienal Nacional de Artes Plásticas, Salvador, Brasil
I Festival Mundial das Artes Negras, Dakar, Senegal
1963
VII Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
1962
Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, Brasil
Medalha de ouro XI Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil
1961
VI Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
X Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil
1959
V Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
1958
Oito Artistas Contemporâneos, Funarte, Rio de Janeiro, Brasil
VII Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil
1957
Artistas da Bahia, MAM, São Paulo, Brasil
1956
V Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil
1951
III Salão Baiano de Belas Artes, Salvador, Brasil
1950
II Salão Baiano de Belas Artes, Salvador, Brasil
Novos Artistas Baianos, Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, Salvador, Brasil
1949
I Salão Baiano de Belas Artes, Salvador, Brasil 

Exposições
Rubem Valentim Rubem Valentim
Rubem Valentim Rubem Valentim
Rubem Valentim Rubem Valentim
Publicações
Rubem Valentim: Construções Afro-Atlânticas Rubem Valentim
2018
Menu